O planeta está mais quente.

Muitos estudos já comprovaram que a temperatura média da Terra aumentou nas últimas décadas.

Uma pesquisa realizada em conjunto por pesquisadores brasileiros e ingleses constatou, por exemplo, que a temperatura média na região Sudeste do Brasil aumentou 1,1ºC  entre 1955 e 2004.

Em algumas cidades, especialmente nas mais urbanizadas, o aumento da temperatura foi ainda maior.

Na cidade de São Paulo, por exemplo, a variação dos termômetros nesse período de 49 anos foi de cerca de 2ºC.

Assim como outros estudos, este também indicou que a principal razão do aquecimento é a alta concentração de gases de efeito estufa na atmosfera, resultante de ações humanas.

Os malefícios dos gases poluentes, inclusive, são um dos principais temas debatidos em encontros técnicos que estão sendo realizados durante toda esta semana na Universidade de Algarve, em Portugal.

Mais de 260 especialistas em meio ambiente de todo o mundo estão reunidos para discutir as mudanças climáticas.

E o alerta não é novo: os termômetros do planeta Terra vão subir ainda mais se a emissão de gases do efeito estufa não diminuírem.

Em uma dessas reuniões, Thelma Krug, vice-presidente do Painel Intergovernamental sobre Alterações Climáticas, o IPCC, organização ligada à ONU, afirmou que as atuais emissões de gases de efeito estufa podem levar a um aquecimento global de 3 graus Celsius nas próximas décadas.

É o dobro do que foi estabelecido como limite no Acordo de Paris, assinado por 195 países em 2015.

Segundo afirmou Thelma Krug, para limitar o aquecimento global a metade disso, ou seja, 1,5ºC no final do século, seria preciso zerar as emissões de gases até o ano de 2050.