Previsão sobre o impacto do coronavírus na economia brasileira piora.

 O produto Interno Bruto, o PIB do País, ficará negativo em 2,96 por cento, neste ano.

A nova projeção aparece no boletim Focus, do Banco Central, que reúne a opinião das principais instituições financeiras do País.

No balanço divulgado em nove de março, dois dias antes da decretação da pandemia, a previsão era de um crescimento de praticamente dois por cento. Ou seja, o índice despencou cinco pontos percentuais, em cerca de um mês e meio.

Na semana passada, a projeção era de um PIB 1,96 negativo.

A paralização quase que total de alguns setores, como o de turismo, o fechamento de fábricas e do comércio em várias regiões e um possível aumento do desemprego pesam negativamente sobre o resultado da economia.

A última que vez que o PIB brasileiro encolheu foi na crise de 2015 e 2016.

Na soma dos dois anos, o tombo foi de quase sete por cento.

Depois, em 2017, 18 e 19, a economia do País até cresceu, mas não o suficiente para se recuperar.

Na soma dos três anos, o avanço ficou abaixo de quatro por cento.