Quatro, de cada 10 patrões, abandonaram as diaristas, durante a pandemia do coronavírus.

São pessoas que dispensaram essas profissionais e suspenderam os pagamentos.

Pesquisa do Instituto Locomotiva mostra, ainda, que a situação é pior quando o patrão tem mais dinheiro.

Nas classes A e B, 45 por cento dispensaram as diaristas e cortaram o pagamento.

De cada quatro profissionais, uma, pelo menos, tem trabalhado normalmente, mesmo com a pandemia.

Os responsáveis pelo estudo avaliam que ambos os dados são preocupantes.

De um lado, ainda há um número grande de pessoas que precisam se deslocar, inclusive pelo transporte público.

Por outro, são várias diaristas em casa, portanto mais protegidas do coronavírus, porém, talvez sem renda para bancar as despesas.

Vários movimentos na internet pedem que, quem tiver condições, suspenda os serviços dessas profissionais, mas mantenha pelo menos uma parte do pagamento.

Dados do Governo apontam que existem, no País, cerca de seis milhões de trabalhadoras domésticas.