Caso da garota de 10 anos que engravidou após estupro alertou as Nações Unidas sobre a necessidade de melhorar a rede de proteção infantil no Brasil.

Uma das medidas urgentes é fortalecer o sistema para denunciar crimes de violência sexual contra crianças e adolescentes.

De acordo com Luiza Teixeira, especialista em proteção do Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef), o país não possui uma rede de proteção eficiente.

E a sociedade não tem informações sobre como prevenir nem como denunciar casos de abuso sexual infantil.

A especialista sugere que as crianças sejam orientadas sobre como se proteger.

E declarou ao Universa do UOL: ABRE ASPAS precisamos enxergar crianças e adolescentes de forma mais atenta para identificar se elas são vítimas de violência.

E envolvê-las no diálogo ativo para que elas mesmas identifiquem a prática e possam se proteger. FECHA ASPAS.

Luiza Teixeira acrescentou que toda a sociedade deve ter esse entendimento e não apenas a família e o governo.

Entre as recomendações, disse que é necessário falar com crianças, adolescentes e com a comunidade que se tratam de crimes que têm de ser prevenidos.

E que elas também precisam saber como pedir ajuda.