O ministro Alexandre de Moraes é o novo relator no Supremo Tribunal Federal do inquérito que apura se o presidente Jair Bolsonaro interferiu politicamente na Polícia Federal.  

O relator original do processo era o ministro Celso de Mello, que se aposentou recentemente.  

Normalmente, os processo de um ministro que deixa a Suprema Corte são repassados para seu substituto. 

Para o lugar de Celso de Mello, Bolsonaro indicou o desembargador Kassio Nunes Marques, sabatinado pelo Senado nesta quarta-feira. 

A defesa de Sérgio Moro, no entanto, entendeu que não seria justo um ministro indicado pelo presidente cuidar do inquérito e pediu redistribuição do caso entre os ministros do tribunal. 

Alexandre de Moraes foi escolhido em sorteio eletrônico.  

Lembrando que as investigações sobre suposta interferência na PF estão paralisadas. O STF precisa definir o formato do depoimento do presidente Jair Bolsonaro à Polícia Federal.  

Então relator, ministro Celso de Mello, havia determinado depoimento presencial, mas a Advocacia-Geral da União recorreu e quer que Bolsonaro possa se manifestar por escrito. 

O caso foi parar no plenário da corte e uma decisão definitiva é aguardada para que o inquérito seja retomado.