Organização Mundial da Saúde alerta para a demora para se atingir a proteção global contra a Covid-19, mesmo após a vacinação.

A chamada “imunidade de rebanho” não deve ocorrer em 2021, segundo a cientista-chefe do organismo internacional, Soumya Swaminathan, em razão do tempo necessário para a cobertura vacinal em todas as populações.

Além disso, a produção do imunizante na quantidade necessária – um cifra de bilhões de doses – também necessita de tempo.

Swaminathan ponderou, em entrevista coletiva em Genebra, que para se chegar ao nível eficaz de imunização coletiva é necessário que ao menos 60 POR CENTO das pessoas estejam vacinadas.

Há vertentes científicas que defendem um percentual ainda maior: 80 POR CENTO.

A imunidade de rebanho funciona quando uma grande parte das pessoas consegue desenvolver uma reação imunológica contra o vírus, de forma que ele não consiga se espalhar.

Para a Swaminathan, o mundo está longe desse cenário, com menos de meio POR CENTO da população global vacinada.

Dos sete bilhões, apenas 28 milhões receberam doses da vacina até 11 de janeiro.

Ao long de todo o ano, haverá necessidade da adoção de medidas sanitárias, como uso de máscara facial, álcool em gel e frequência na lavagem das mãos com água e sabão.

Sem deixar de lado o distanciamento, com restrição nos contatos pessoais.