Não foi só nas rotinas profissionais, com a popularização do trabalho home office, que a pandemia impôs mudanças comportamentais.

As relações pessoais e familiares sofreram graves abalos e o resultado foi o aumento de 15 POR CENTO nos divórcios nos últimos seis meses.

Levantamento feito pelos cartórios do Brasil aponta que o segundo semestre de 2020 teve recorde no número de dissoluções matrimoniais.

Foram quase 44 mil contra os 38 MIL 200 pedidos de separação no ano anterior.

Mas o excesso de convivência durante o distanciamento social não foi o único fator responsável pelo rompimento das relações amorosas.

A tecnologia pode ter contribuído por facilitar a burocracia dos processos, dizem os especialistas.

Exemplo disso é a plataforma e-Notariado, que permite abrir um pedido de separação pela internet.


Santa Catarina ocupa a primeira posição no ranking, com aumento de 95 POR CENTO dos que decidiram voltar à condição de solteiros.

Em Rondônia, Acre e Mato Grosso do Sul os pedidos de divórcio beiraram ou ultrapassaram 50 POR CENTO no ano passado.


Goiás, Minas, Paraná, Rio de Janeiro, São Paulo e outros seis estados também tiveram aumento significativo em relação a 2019.


Os que menos se divorciaram foram casais dos estados de Amapá, Rio Grande do Sul, Pernambuco e Tocantins.


Vale lembrar que para realizar o divórcio em cartório de notas, a decisão deve ser de comum acordo do casal, que não pode ter filhos menores ou incapazes.


E nenhuma das partes pode ter pendências judiciais.