O rendimento médio mensal do brasileiro caiu, no ano passado, em meio à pandemia de Covid-19.

De acordo com dados divulgados pelo IBGE, o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, a queda foi de 3,4%, na comparação com 2019; passou de R$ 2.292 para R$ 2.213, chegando ao menor valor médio desde 2013, quando era estimado em R$ 2.250 - já descontada a inflação do período

A queda foi generalizada entre a maioria das fontes que compõem a renda do brasileiro. O recuo mais intenso, porém, foi observado entre as chamadas “outras fontes”, que incluem aposentadoria, pensão e aluguéis.

Além disso, os dados do IBGE mostram que o aumento do desemprego, no ano passado, e o pagamento  auxílio emergencial alteraram o perfil do rendimento das famílias.

Mantendo 2019 como base de comparação, o rendimento de trabalho caiu e aumentou a renda vinda pelos chamados “outros rendimentos”, que englobam os recebimentos de programas sociais.

O total de pessoas com rendimento de trabalho recuou passou de 92,8 milhões para 84,7 milhões entre um ano e outro, já o número de pessoas que recebiam valores por progra,as de transferência de renda subiu de 16,4 milhões para 30,2 milhões no mesmo período, o que equivale 14,3% da população.